Medicamentos e cirurgia plástica no nariz: saiba como se preparar para a rinoplastia

Publicado em

Por: Dr. Fábio Zanini - CRM/SC 8373 | RQE 3904

Antes de realizar uma cirurgia plástica, o médico responsável promove uma verdadeira investigação sobre os hábitos do paciente. Pode parecer exagero, mas a anamnese minuciosa é importante para diminuir risco de complicações e, consequentemente, aumentar o sucesso dos procedimentos. No caso da rinoplastia não é diferente: o cirurgião plástico ou o otorrinolaringologista especialista em rinologia investigam, por exemplo, a interação entre os medicamentos e a cirurgia plástica no nariz.

Neste artigo, entenda porque se preparar adequadamente, pausando o uso de alguns remédios e suplementos, diminui os riscos associados às intervenções cirúrgicas. Veja, também, quais medicações podem ser mantidas. Boa leitura!

A cirurgia plástica no nariz é um procedimento simples?

Não! Antes de continuar, esse ponto precisa ficar claro. A rinoplastia é um ato cirúrgico e, como tal, tem riscos.

Claro que existem diferentes tipos de narizes e que cada um exige uma abordagem, a qual pode ser mais ou menos complexa. Porém, todas requerem cuidados, inclusive antes do procedimento.

Quem tem nariz largo e deseja realizar uma cirurgia de redução alar, por exemplo, pode pensar que se trata de um procedimento simples e ignorar as orientações médicas. Aliás, redução alar é a técnica, minimamente invasiva, empregada para reduzir a largura da base alar. Há até pouco tempo, ela podia ser realizada por cirurgiões dentistas, mas com a Resolução CFO-230, de 14 de agosto de 2020, o Conselho Federal de Odontologia (CFO) proibiu sua realização.

Vale ressaltar que o otorrinolaringologista com especialização em rinoplastia é o profissional mais indicado para realizar essa ou qualquer intervenção no nariz (seja estética ou funcional). Afinal, ele entende, como nenhum outro, a complexidade da estrutura nasal.

Qual é a relação entre medicamentos e cirurgia plástica no nariz?

Quando o médico recomenda suspender alguma medicação antes da cirurgia, é melhor obedecer. Isso porque, algumas substâncias podem influenciar no sangramento durante o ato cirúrgico — inclusive, levando a quadros de hemorragia. Por isso, ainda que na rinoplastia o sangramento seja mínimo, deve-se evitar o uso de medicamentos e suplementos que aumentem suas chances de ocorrer.

Quem faz uso de substâncias ingeridas por alguns praticantes de atividades físicas (como termogênicos) ou mesmo de drogas ilícitas também precisa relatar o fato ao médico. O mesmo vale para quem consome grandes quantidades de álcool, pois ele impacta, diretamente, na cicatrização.

Tabagistas, por sua vez, devem abandonar o cigarro, pelo menos, um mês antes da cirurgia. E, se possível, aproveitar a oportunidade para deixá-lo no passado de uma vez por todas!

No entanto, caso não consiga interromper algum desses hábitos, seja sincero e relate a situação ao seu médico. Ele, melhor do que ninguém, saberá como orientá-lo.

Outro ponto importante é a interação entre os remédios de uso habitual e a anestesia local usada nos procedimentos. Sabe-se que a manutenção ou a suspensão de medicamentos antes da cirurgia plástica no nariz pode interferir no efeito anestésico. O uso contínuo de medicamentos anticoagulantes, por exemplo, precisa ser ajustado no pré-operatório.

Os suplementos vitamínicos e medicamentos fitoterápicos, mesmo não sendo alopáticos, também oferecem riscos à anestesia. Isso porque eles podem camuflar alguma doença preexistente e/ou interagir com os agentes anestésicos, levando a uma série de complicações.

Quais medicamentos devem ser suspensos e quais podem ser mantidos?

Para realizar o procedimento com o menor sangramento possível, nos 10 dias que antecedem a rinoplastia, deve-se evitar:

  • medicamentos anti-inflamatórios, principalmente os que sejam feitos à base de ácido acetilsalicílico (como aspirinas e AAS), por serem antiagregantes plaquetários, ou seja, aumentarem as chances de sangramento;
  • suplementos fitoterápicos à base de Gingko biloba e Ginseng, bem como suplementos de ômega 3 e vitamina E, por interferirem, diretamente, na coagulação sanguínea.

Já o manejo de medicações de uso contínuo deve ser definido pelo médico no pré-operatório. Isso ocorre, geralmente, após a realização da avaliação pré-anestésica.

Salvo algumas exceções, são exemplos de medicamentos que podem ser mantidos antes da cirurgia plástica no nariz:

  • remédios de controle cardiovascular;
  • hipoglicemiantes;
  • antiplaquetários;
  • remédios usados em tratamentos de doenças reumáticas;
  • psicotrópicos e ansiolíticos; entre outras medicações.

Dessa forma, é possível otimizar as condições clínicas desfavoráveis, considerando as características de cada paciente. E, assim, diminuir o risco de complicações.

No que diz respeito às medicações de uso contínuo que podem ser mantidas, destacam-se os anticoncepcionais hormonais orais. No entanto, se for possível vale a pena interromper seu uso por, pelo menos, 10 dias antes do procedimento e 15 dias depois. Assim, o risco de ocorrerem fenômenos tromboembólicos (trombose e embolia) diminui.

Quais medicamentos costumam ser usados no pós-operatório?

Na maioria das vezes, medicamentos de uso rotineiro podem ser retomados no dia seguinte à cirurgia plástica no nariz. Além desses, o otorrinolaringologista costuma prescrever algum analgésico, para o caso de dor. Mas atenção: esse tipo de medicação só deve ser tomado se houver necessidade, nunca aleatoriamente.

Em certos casos, o especialista pode indicar, também, algum antibiótico. Para a recuperação adequada, é importante ingeri-lo seguindo a orientação médica à risca.

Também é possível que o médico receite um corticoide. Esse tipo de medicação costuma durar uma semana e ajuda a reduzir o inchaço pós-operatório, bem como o desconforto sentido pelo paciente ao longo dos primeiros dias. Mas, mais uma vez, deve-se tomá-los seguindo, exatamente, as instruções médicas.

Por fim, lembre-se de comprar todos os medicamentos indicados pelo otorrinolaringologista, para o uso no pós-operatório, antes da cirurgia. Não espere sentir algum desconforto para pedir que alguém os busque na farmácia às pressas.

Como mostrado, a atenção a possível interação entre os medicamentos e a cirurgia plástica no nariz é essencial tanto para a saúde do paciente como para o sucesso do procedimento. Portanto, caso você use alguma medicação ou suplemento, seja ele qual for, converse com seu médico sobre o consumo. Apesar da ansiedade gerada pela expectativa da cirurgia, esse é um ponto que não pode ser esquecido.

Esperamos que o artigo tenha sido útil. Mas, caso ainda tenha alguma dúvida sobre o assunto, sinta-se à vontade para entrar em contato!

Material escrito por: Dr. Fábio Zanini - CRM/SC 8373 | RQE 3904

Médico formado pela Universidade Federal de Santa Catarina em 1999, fez sua especialização em Otorrinolaringologia pelo Hospital da Lagoa no Rio de Janeiro/RJ e Mestrado pela Santa de Misericórdia de São Paulo.

Assine nossa newsletter!



    Insira o código na caixa ao lado.

    captcha