O que observar ao escolher seu médico para uma rinoplastia em Florianópolis

Publicado em

Por: Dr. Fábio Zanini - CRM/SC 8373 | RQE 3904

Em regiões metropolitanas, a variedade de profissionais obriga as pessoas a fazerem uma série de “peneiras” antes de contratar os que consideram melhores. É assim com o arquiteto, com o personal trainer, com o cabeleireiro, etc. Quando se trata da escolha de um médico, a seleção se torna ainda mais criteriosa. E no caso de uma cirurgia plástica facial, o rigor chega ao limite! Pois bem, como existem muitos cirurgiões realizando rinoplastias em Florianópolis, resolvi compartilhar alguns critérios que julgo pertinentes na hora do paciente se decidir.

Se você mora na Grande Florianópolis, tem família por aqui ou se, de tempos em tempos, vem passar as férias na ilha, este artigo foi escrito pensando em você. Espero que ajude.

O que avaliar antes de agendar a consulta?

Recomendo pedir indicações para conhecidos que tenham feito uma rinoplastia em Florianópolis. Caso não conheça ninguém, uma opção é procurar em sites que reúnem avaliações de ex-pacientes, como o Doctoralia. Por meio das resenhas, dá para ter uma boa noção da ética profissional dos médicos.

Outra fonte de pesquisa são as redes sociais, como Instagram e Facebook. Fazer uma busca no Google também vale a pena como ponto de partida — desde que checando as informações para ter certeza de que são verídicas.

Para isso, procure pelo nome ou número de registro (CRM e RQE) do médico em portais de sociedades de cirurgias plásticas reconhecidas. A Academia Brasileira de Cirurgia Plástica da Face (ABCPF) é uma associação que concede certificados a profissionais especializados em rinologia e que se mantêm em constante atualização.

Também é importante avaliar a localização da clínica. No meu caso, fiz questão de me estabelecer em um ponto que fosse de fácil acesso, tanto para quem mora em Floripa, como para quem vem de outras cidades: o Centro.

Além da acessibilidade, o consultório também deve ter uma boa infraestrutura, com ambientes limpos, confortáveis e bem equipados. Melhor ainda se o local contar com estacionamento e uma rede de serviços completa no entorno, com hotéis e restaurantes.

O que avaliar após a primeira consulta?

Antes de continuarmos, gostaria de deixar claro que nenhum paciente tem obrigatoriedade de realizar a cirurgia apenas por ter ido a primeira consulta. Esse é o momento no qual o médico aponta uma série de aspectos, muitos dos quais podem não ter sido levados em conta até então — e que são cruciais para a decisão.

Por isso, mudar de ideia ou adiar os planos é absolutamente normal. Mas, se tanto o médico como o paciente decidirem seguir em frente, deve-se avaliar a confiança estabelecida durante a primeira consulta.

Na prática, você precisa conseguir perguntar tudo o que gostaria de saber, sem se sentir intimidado ou envergonhado. Sem isso, a relação médico-paciente é prejudicada.

Quais são os riscos de fazer uma rinoplastia com um profissional não qualificado?

Desculpem-me se parecer insensível, não é minha intenção. Mas as notícias sobre tragédias ocorridas durante ou após intervenções cirúrgicas (estéticas e/ou funcionais), feitas com indivíduos não qualificados, falam por si.

Cicatrizes inestéticas, fibroses e problemas respiratórios são alguns dos riscos de quem se submete a um profissional incapacitado. Episódios que terminam em deformações e, até mesmo, levam ao óbito, também são não são raros.

A rinoplastia deve ser feita por um médico com formação adequada. Pode ser um cirurgião plástico ou por um otorrinolaringologista com especialização cirúrgica, de preferência, que seja membro da ABCPF.

Isso porque, a rinoplastia serve tanto para corrigir a parte estética quanto melhorar a função respiratória. E o otorrino, portanto, corrige a forma ao mesmo tempo em que conhece, como nenhum outro, a funcionalidade da cavidade nasal.

Mas não pense que o cirurgião é o único médico envolvido no procedimento. Quando necessário, outros especialistas podem ser chamados, como psicólogo, fisioterapeuta, nutricionista, etc.

Portanto, esse é mais um fator e ser considerado: um bom médico deve contar com bons parceiros profissionais. Tudo para poder reunir a equipe necessária para cuidar, de forma integral e individualizada, de cada paciente.

Para quem não mora na ilha, fazer a rinoplastia em Florianópolis compensa?

Esse critério é bastante relativo. Minha experiência mostra que, quando um paciente encontra um médico que lhe inspire confiança, com o qual tenha afinidade, a distância não é um fator impeditivo.

Por outro lado, quando isso não acontece, a proximidade não tem peso algum. Quem nunca consultou um especialista distante mesmo tendo o mesmo tipo de profissional no bairro onde trabalha ou reside?

Já para as pessoas provenientes de locais realmente distantes, como de outros estados, uma saída bacana é o chamado turismo médico em cirurgia plástica. É possível fazer as consultas pré-operatórias on-line, enviar os resultados de exames por e-mail e programar o procedimento para as próximas férias. Existe até um guia com orientações para quem pretende ter esse tipo de experiência.

Assim, é possível levar a família junto e, ao mesmo tempo, aproveitar as facilidades do hotel (sem ter de arrumar a casa, de cozinhar etc) onde estiverem hospedados para se recuperar no pós-operatório. Enquanto isso, os demais se divertem “turistando”. Por essas e outras, fazer a rinoplastia em Florianópolis pode ser uma ótima opção!

E então, gostou das dicas? Se desejar, agende uma consulta online. Ou, caso prefira esclarecer algumas dúvidas primeiro, fique à vontade para enviá-las por e-mail ou WhatsApp!

Material escrito por: Dr. Fábio Zanini - CRM/SC 8373 | RQE 3904

Médico formado pela Universidade Federal de Santa Catarina em 1999, fez sua especialização em Otorrinolaringologia pelo Hospital da Lagoa no Rio de Janeiro/RJ e Mestrado pela Santa de Misericórdia de São Paulo.

Assine nossa newsletter!