Posso fazer rinoplastia com plano de saúde

Publicado em

Por: Dr. Fábio Zanini - CRM/SC 8373 | RQE 3904

Uma das perguntas que mais ouço no consultório não tem a ver, diretamente, com a cirurgia a ser realizada. Trata-se de uma questão, por assim dizer, mais prática. O que tanta gente quer saber é se dá para fazer a rinoplastia com plano de saúde. Minha resposta é: depende do tipo de procedimento e da cobertura contratada. Por isso, o mais correto é checar cada situação junto à respectiva operadora. Mas já adianto que em alguns casos é possível e, em outros, não.

Como sei que muitas pessoas têm essa dúvida e algumas, inclusive, ficam sem jeito de perguntar, resolvi escrever sobre o assunto. Se for o seu caso, espero que ajude!

Rinoplastia com plano de saúde: é possível ou não?

Primeiramente, é preciso entender que existem diversos tipos de cirurgias no nariz e que a(s) técnica(s) empregada(s) varia(m) de acordo com as necessidades de cada um. Por isso, sou procurado tanto por quem “só” deseja respirar melhor como por pessoas que estão incomodadas com algum aspecto estético, relacionado à forma nasal.

Dito isso, a maioria das coberturas funciona assim: as cirurgias funcionais podem ser realizadas pelo plano de saúde. É o caso da rinoplastia pós-traumática, para corrigir uma deformidade decorrente de um acidente, por exemplo.

No entanto, se o procedimento for puramente estético ou associado a uma cirurgia estética, torna-se particular. Por exemplo, no caso da correção do dorso nasal associada à septoplastia.

Então, é preciso conversar com o médico, dizer o que incomoda e passar por uma avaliação clínica. A partir daí, define-se a estratégia cirúrgica: se a intervenção for estritamente funcional, provavelmente poderá ser feita pelo plano.

Como pode ser feito o pagamento da cirurgia plástica no nariz?

Se a rinoplastia for estritamente estética, o pagamento é particular. Nesse caso, é preciso negociar as condições com o cirurgião, nas consultas pré-operatórias.

Se a rinoplastia for estética e, ao mesmo tempo, funcional ou reparadora o plano de saúde cobre uma parte e o restante é particular. Por exemplo: o convênio custeia os gastos relacionados à correção do desvio de septo, mas não os relacionados com mudanças na forma ou tamanho do nariz.

O que é preciso checar, previamente, com a seguradora de saúde?

É absolutamente essencial conhecer tudo sobre a cobertura do seu plano. Ainda que nós, médicos, possamos orientar sobre diversos aspectos, essa é uma responsabilidade de cada paciente.

Deve-se checar, também, qual é a documentação necessária. Afinal, o convênio só autoriza um procedimento após analisar os exames, o parecer médico e, eventualmente, outros documentos comprobatórios. O boletim de ocorrência, por exemplo, é necessário quando foi um acidente de trânsito que provocou a lesão.

O que levar em conta na hora de escolher seu cirurgião?

A cobertura oferecida pelo plano de saúde não deve ser um fator determinante na escolha do cirurgião. O mais importante é conhecer sua formação, comprovada por meio de certificados e títulos de especialista, e tempo de experiência.

Além disso, o médico precisa esclarecer todas as suas dúvidas e lhe inspirar confiança. No mais, sempre vale a pena conversar com ex-pacientes, para que eles mesmos lhe contem como foi todo o processo, do pré ao pós-operatório.

Cabe dizer, ainda, que tanto o otorrinolaringologista quanto o cirurgião plástico podem ser treinados para fazer rinoplastias. Mas quando a queixa é estritamente funcional ou, ao mesmo tempo, estética e funcional, a expertise do otorrino no funcionamento nasal faz diferença.

Uma boa dica é ver se o profissional é filiado à Associação Brasileira de Cirurgia Plástica da Face (ABCPF). A entidade reúne otorrinolaringologistas dedicados a se atualizar, constantemente, nas técnicas e procedimentos de rinoplastia.

Assim, ainda que todos queiram fazer valer os elevados gastos com as seguradoras, quando se trata de cirurgias plásticas há muito mais a se considerar. Meu conselho é: encontre um bom médico, que seja seu parceiro e lhe ajude a realizar o procedimento da melhor forma possível. Afinal, poder fazer a rinoplastia com plano de saúde é bom, mas não é tudo!

 

Se você gostou deste artigo, aproveito para deixar um convite: entrar no grupo do Facebook do Dr. Fábio Zanini. Lá você encontra relatos e respostas para uma série de dúvidas, levantadas pelos meus pacientes ao longo de muitos anos de trabalho e estudo!

Material escrito por: Dr. Fábio Zanini - CRM/SC 8373 | RQE 3904

Médico formado pela Universidade Federal de Santa Catarina em 1999, fez sua especialização em Otorrinolaringologia pelo Hospital da Lagoa no Rio de Janeiro/RJ e Mestrado pela Santa de Misericórdia de São Paulo.

Assine nossa newsletter!


Fábio Zanini - Doctoralia.com.br