Preciso de uma cirurgia no nariz: e agora?

Publicado em

Por: Dr. Fábio Zanini - CRM/SC 8373 | RQE 3904

Hoje vou contar uma história muito comum em meu consultório. Veja se você se identifica com ela!

Uma paciente que vivia com obstrução nasal, dores de cabeça e problemas para dormir se cansou de conviver com os sintomas e foi procurar a ajuda de um médico. Algumas consultas depois, ela recebeu o diagnóstico e o respectivo tratamento: seria preciso fazer uma cirurgia no nariz. No na-riz!!! Mas e o medo de ficar com alguma cicatriz (ou coisa pior) bem no meio do rosto?

Como desistir dos cuidados com a saúde não era uma opção, ela pensou, pesquisou e chegou a uma saída: a única forma de passar por tudo isso com tranquilidade seria encontrar um especialista. Ela precisava de um médico que pudesse tratar do seu problema funcional e, ao mesmo tempo, preservar a estética do nariz. E foi o que ela fez!

Os problemas

Muita gente que precisa fazer uma cirurgia no nariz fica com receio de se submeter à operação. Mas diversas condições que afetam a região podem exigir tratamento cirúrgico, principalmente, quando a abordagem farmacológica não surte efeito. Os principais casos são:

  • adenoide aumentada, um problema mais comum em crianças, o qual leva à obstrução nasal contínua, sendo tratado pela adenoidectomia (cirurgia de retirada da adenoide) via cirurgia endoscópica nasal, técnica que gera menos traumas e reduz o tempo de recuperação;

  • desvio de septo, condição que prejudica a respiração, sendo feita com duas ou mais técnicas (septoplastia e rinoplastia) ao mesmo tempo;

  • hipertrofia dos cornetos, outro tipo de desvio funcional, cujo aumento decorre de rinites e pode causar obstrução nasal crônica ou otite média por obstrução, sendo tratada pela cirurgia de correção dos cornetos associada à rinoplastia;

  • sinusite, um processo inflamatório multifatorial que, quando não responde à abordagem medicamentosa ou está ligada à alguma complicação, exige a realização de uma cirurgia (geralmente, endoscópica) nasal;

  • neoplasias nasais (tumores benignos ou malignos), as quais devem ser removidas por meio da cirurgia endoscópica nasal.

Muitas técnicas são executadas por via fechada (conhecida como cirurgia endoscópica), a qual deixa a cicatriz escondida dentro do nariz. Em alguns pacientes, no entanto, pode ser preciso realizar a cirurgia por via aberta, a qual deixa uma pequena cicatriz, geralmente nas asas nasais ou na columela. São eles:

  • pessoas cuja cartilagem da ponta nasal é pouco projetada;

  • com nariz torto de modo que comprometa suas funções (laterorrinia);

  • que tenham sofrido um trauma grave na área do nariz (como em acidentes);

  • com alguma deformidade congênita que comprometa o local (como fenda labial);

  • pacientes que estejam realizando a cirurgia no nariz pela segunda vez (rinoplastia secundária); entre outros casos.

Assim, apenas o otorrinolaringologista especializado em cirurgias no nariz pode definir a melhor estratégia de tratamento. Para ser bem-sucedida, a cirurgia no nariz deve ser individualizada.

O especialista

Consciente e decidida, a paciente fez como achou melhor. Ao buscar a ajuda de um otorrinolaringologista com especialização em rinoplastia (cirurgia plástica no nariz), seu medo deu lugar à esperança.

Primeiramente, porque não é preciso passar por diversos profissionais. Tudo, do diagnóstico à cirurgia, fica a cargo do “seu otorrino”. Em segundo lugar, porque a especialização do médico garante um resultado satisfatório, do ponto de vista funcional, e harmônico, do ponto de vista estético.

Além de ser mais prático, isso gera uma relação de confiança — algo essencial do pré ao pós-operatório. Aliás, o otorrino também ensina como se preparar para a cirurgia da melhor forma possível e tirar todo o processo de letra.

A cirurgia no nariz

Ao definir as técnicas cirúrgicas empregadas no tratamento, o otorrino esclarece que elas podem ser associadas à rinoplastia. De novo, bate aquele frio na barriga! Mexer no formato do nariz? Será?

Mas conforme o médico explica o que é feito, o receio em relação à cirurgia tende a diminuir. Na rinoplastia funcional, não apenas a necessidade fisiológica é corrigida, mas também a parte estética — se houver desejo por parte do paciente.

Depois da cirurgia

O pós-operatório da cirurgia no nariz é tranquilo quando tudo é realizado como o planejado. Seguindo as recomendações do seu otorrino, a paciente tira alguns dias de repouso e retoma suas atividades habituais em duas semanas.

A partir do sexto mês, seu nariz já fica praticamente normal. Função e formato? Melhores do que nunca! Os sintomas que tanto incomodavam a paciente ficam no passado: nada de obstrução nasal, dores de cabeça ou problemas para dormir.

Se você está passando por uma situação parecida, sinta-se à vontade para entrar em contato com o Dr.Fábio Zanini. Suas dúvidas podem ser esclarecidas por e-mail ou WhatsApp, como preferir!

Material escrito por: Dr. Fábio Zanini - CRM/SC 8373 | RQE 3904

Médico formado pela Universidade Federal de Santa Catarina em 1999, fez sua especialização em Otorrinolaringologia pelo Hospital da Lagoa no Rio de Janeiro/RJ e Mestrado pela Santa de Misericórdia de São Paulo.

Assine nossa newsletter!