Quem não pode fazer rinoplastia?

Publicado em

Por: Dr. Fábio Zanini - CRM/SC 8373 | RQE 3904

Apenas ter vontade de alterar algum aspecto na forma nasal é suficiente para marcar a cirurgia? Não mesmo! Existem diversos critérios que ajudam os especialistas a dizer quem pode e quem não pode fazer rinoplastia. Alguns deles são conferidos logo na primeira consulta, durante a anamnese. Outros são notados apenas no retorno, após a análise atenta dos resultados dos exames. Além disso, existe a questão das expectativas — caso médico e paciente não cheguem a um consenso, o procedimento se torna inviável.

Mas então, quem tem ou não indicação para realizar o procedimento? É sobre isso que trato neste artigo. Continue a leitura e esclareça suas dúvidas!

Quem não pode fazer rinoplastia?

estado físico e/ou mental do paciente pode impossibilitar a realização da rinoplastia. Confira os principais fatores de impedimento a seguir.

Menores de 13 anos de idade

A rinoplastia estética só deve ser realizada em pacientes cujo crescimento da estrutura crânio-maxilo-facial já tenha finalizado. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), isso ocorre por volta dos 13 anos de idade.

Porém, não há um consenso. Segundo a Academia Brasileira de Cirurgia Plástica da Face (ABCPF), as estruturas faciais só ficam completamente formadas por volta dos 17 anos. Porém, a rinoplastia pode ser autorizada se justificada — mesmo que haja risco de necessitar de uma cirurgia revisional no futuro. No caso de o jovem fraturar o nariz, por exemplo, ela é indicada independentemente da idade.

Pessoas com doenças pré-existentes

Algumas comorbidades são fatores de risco conhecidos para cirurgias plásticas, pois podem desencadear complicações durante o procedimento ou dificultar a posterior recuperação do organismo. É o caso de distúrbios cardiovasculares, infecciosos, imunológicos, de coagulação, entre outros. O vício em drogas, especialmente a cocaína, também é um impedimento.

O check-up pré-operatório (exames de sangue, de urina e avaliação cardiológica) serve, justamente, para afastar essas suspeitas. Se confirmadas, é preciso se submeter ao respectivo tratamento para controlar o quadro e, posteriormente, reavaliar a possibilidade de realizar a rinoplastia.

Pessoas com problemas de ordem emocional

Qualquer cirurgia plástica só é realizada quando médico e paciente estão de acordo quanto aos seus alcances. Caso as expectativas do paciente não sejam condizentes com as reais possibilidades do procedimento, o mesmo não deve ser realizado.

Por isso, o estado psicológico do paciente é um dos critérios que separam quem pode de quem não pode fazer rinoplastia. São considerados impedimentos para a realização da cirurgia:

  • a motivação errada, ou seja, quando o paciente deseja fazer a intervenção para conquistar uma pessoa, ascender na carreira, entre outros motivos externos;

  • ser uma ideia fixa, como quando o paciente realiza um procedimento seguido de outro, buscando “corrigir defeitos” incessantemente;

  • a falta de clareza sobre o que espera, como um paciente que não sabe dizer o que lhe incomoda no nariz.

Atualmente, recomenda-se que os especialistas em cirurgias plásticas saibam reconhecer a dismorfofobia, também chamada de transtorno dismórfico corporal (TDC). Essa desordem mental, prevalente em ambos os gêneros, leva à inquietação excessiva em relação às imperfeições mínimas, naturais do corpo humano. Nesses casos, o paciente deve ser encaminhado para um acompanhamento psicológico.

Para quem a rinoplastia é indicada?

Quem teve algum defeito congênito (como uma fissura labial) corrigido na infância, cujo resultado estético deixou a desejar, é um bom candidato à rinoplastia. Quem sofreu algum trauma ou infecção que prejudicou, definitivamente, a forma e/ou a função do nariz, também. No mais, são bons candidatos ao procedimento pacientes que:

  • apresentam boas condições gerais de saúde e, de preferência, não sejam fumantes;

  • saibam explicar o que lhes incomoda na aparência e/ou funcionamento do nariz;

  • tenham expectativas realistas, ou seja, desejam um resultado harmônico e natural;

  • desejam fazê-lo por vontade própria, não para seguir modismos ou para satisfazer outras pessoas.

Desconfie de profissionais que prometem resultados 100% garantidos ou que dizem que não há riscos associados ao procedimento, aceitando realizá-lo independente da existência de problemas de saúde ou psicológicos. Quando se trata de cirurgia plástica, tudo que soar exagerado vai contra à segurança do paciente.

Como saber se você está apto a realizar a cirurgia?

A melhor pessoa para definir quem pode ou quem não pode fazer rinoplastia é o médico responsável — de preferência, um otorrinolaringologista com habilitação em cirurgia plástica facial focada em rinologia. Esse tipo de especialista consegue avaliar tanto questões estéticas quanto fisiológicas do nariz, proporcionando de maneira consciente o tratamento mais adequado para cada paciente.

Se você deseja fazer uma avaliação individualizada, estou à disposição. Agende sua consulta, via WhatsApp, e vamos conversar a respeito!

Material escrito por: Dr. Fábio Zanini - CRM/SC 8373 | RQE 3904

Médico formado pela Universidade Federal de Santa Catarina em 1999, fez sua especialização em Otorrinolaringologia pelo Hospital da Lagoa no Rio de Janeiro/RJ e Mestrado pela Santa de Misericórdia de São Paulo.

Assine nossa newsletter!



    Insira o código na caixa ao lado.

    captcha