Cirurgia plástica no nariz deixa cicatriz?

Publicado em

Por: Dr. Fábio Zanini - CRM/SC 8373 | RQE 3904

Nada mais normal do que pessoas que vão fazer algum procedimento cirúrgico terem receio de ficar com marcas na pele. “Uma das perguntas que mais ouço no consultório é se a rinoplastia deixa cicatriz”, conta o otorrinolaringologista Dr. Fábio Zanini. Felizmente, na maioria das vezes, a resposta é não. Porém, isso depende da técnica empregada que, por sua vez, é escolhida conforme as necessidades de cada um — e dos respectivos cuidados no período pós-operatório.

Neste artigo, entenda a relação entre cirurgia plástica no nariz e a cicatriz. Confira, também, os hábitos para ter uma boa cicatrização. Você verá que não apenas o médico tem responsabilidades sobre o resultado da rinoplastia, mas também o paciente!

Que tipo de rinoplastia deixa cicatriz?

De acordo com os tipos de nariz, existem duas maneiras de realizar a rinoplastia: por via fechada ou aberta. Na primeira, as cicatrizes ficam escondidas dentro da cavidade nasal. Portanto, não aparecem.

No entanto, nem todos os pacientes podem ser operados por meio dessa técnica. Quando a rinoplastia precisa ser aberta, ela deixa uma pequena cicatriz externa. Essa marca é decorrente das incisões, realizadas nas asas nasais ou na columela.

Indicações de rinoplastia aberta

De maneira geral, a rinoplastia aberta nos dá mais controle nas correções da ponta do nariz. Por isso, são potenciais candidatos à técnica:

  • quem possui nariz sem a cartilagem da ponta bem projetada;
  • pessoas com laterorrinia (nariz torto, desvio que compromete as funções funcionais do nariz);
  • indivíduos que tenham sofrido algum trauma na face;
  • quem tem alguma deformidade congênita, como fenda labial;
  • pacientes que estão realizando uma rinoplastia secundária (revisão), entre outros casos.

Etapas da cicatrização

As etapas da cicatrização, geralmente, se estendem ao longo do período pós-operatório da rinoplastia

Durante a primeira e a segunda semana (o período pós-operatório mediato , propriamente dito), o nariz fica mais inchado, assim como a cicatriz. O grau de inchaço, no entanto, varia bastante de paciente para paciente, podendo se prolongar por até 2 meses.

Passado o primeiro ano (pós-operatório tardio), a cicatriz deve ser mínima. Caso tenha ficado hipertrófica, pode se considerar alguma correção clínica ou cirúrgica. 

Características das cicatrizes

Passado o período cirúrgico tardio (em média, após o procedimento completar um ano), a cicatriz da rinoplastia aberta deve ser normal, ou seja, praticamente imperceptível. É o que acontece na grande maioria dos casos. Apenas quando há complicações, ela pode se tornar mais evidente. A boa notícia é que existem maneiras de melhorar sua aparência.

Porém, é importante que o médico avalie, nas consultas pré-operatórias, quais as chances de o paciente vir a ter uma cicatrização anormal. Para isso, ele considera o histórico pessoal e dos familiares de primeiro grau.

Hábitos de vida X cicatrização

Evitar o sol é um hábito que tem influência direta na cicatrização da rinoplastia. “Você deve proteger seu rosto por 60 dias após a cirurgia, pois a exposição direta causa inchaço no nariz e retarda o processo de cicatrização”, explica o otorrinolaringologista. Nesse período, evite banhos de sol e use um protetor com FPS 15 ou maior.

Outro hábito importante é beber bastante água. Uma boa hidratação minimiza a tensão da pele, ocorrida no processo de cicatrização. Consequentemente, contribui para a melhora da sua aparência.

“Tomar muitos líquidos ajuda em todo o processo, desde a recuperação da anestesia”, continua Dr. Zanini. Por isso, não descuide da hidratação.

 

Quais são os riscos da falta de cuidados durante a cicatrização?

Não seguir as orientações do cirurgião durante o pós-operatório pode provocar complicações cicatriciais. Mas, como mencionado, mesmo se a cicatriz ficar hipertrófica ou irregular, após o primeiro ano, existem recursos para corrigi-la.

Além dos procedimentos clínicos, pode-se fazer uma cirurgia secundária. Nesse caso, a intervenção cirúrgica costuma ser bem menor do que da primeira vez, sendo, muitas vezes, realizada apenas com anestesia local.

Vale destacar que a necessidade de fazer retoques não significa má qualidade da primeira intervenção. Segundo a Academia Brasileira de Cirurgia Plástica e da Face (ABCPF), estima-se que 5% dos procedimentos podem necessitar de reparos.

Como o cirurgião pode ajudar o paciente no período pós-operatório?

O cirurgião deve ser aberto ao diálogo não apenas no pré, mas também no pós-operatório. “Toda e qualquer preocupação por parte do paciente deve ser transmitida ao profissional”, ressalta Dr. Zanini.

Isso abrange desde dúvidas sobre os curativos à avaliação da evolução cirúrgica estética e funcionalmente. Afinal, independentemente dessas orientações constarem no guia de cuidados (geralmente, entregue após a cirurgia), nada como a segurança de saber que pode contar com seu médico.

Agora que você já conhece a relação entre cirurgia plástica no nariz e a cicatrização, faça sua parte. Seja responsável e procure por um especialista membro da ABCPF. Depois, siga as orientações do pré e pós-operatório do seu médico de confiança Com esses cuidados as chances das cicatrizes se tornarem imperceptíveis são muito altas!

Se desejar entender mais sobre a rinoplastia e conversar com quem já passou pelo processo de cicatrização, faça parte do grupo do Facebook sobre rinoplastia, criado pelo Dr. Fábio Zanini. Nele é possível esclarecer mais dúvidas e trocar experiências com outros pacientes!

Material escrito por: Dr. Fábio Zanini - CRM/SC 8373 | RQE 3904

Médico formado pela Universidade Federal de Santa Catarina em 1999, fez sua especialização em Otorrinolaringologia pelo Hospital da Lagoa no Rio de Janeiro/RJ e Mestrado pela Santa de Misericórdia de São Paulo.

Assine nossa newsletter!